quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

MOMENTOS DE DESAFIOS



Diferenças acontecem em todos os lares!
Já observou que muitas vezes nosso maior ponto forte é o nosso principal obstáculo?
Tenho aprendido por experiência, que quando nos defrontamos com momentos desafiadores e deixamos de lidar com o gatilho que gera o desentendimento, eles acabam gerando as discussões...
Diferenças triviais de opinião acabam se tornando verdadeiras batalhas e acabam afetando o que se está construindo...

Existem períodos numa relação que são muito bons!
Tudo corre conforme sonhado... ótima empatia... e entrosamento...
E existem períodos que as idéias... as opiniões ficam diferentes... 
Acontece o desentendimento...
Para mim fica uma sensação que se inicia uma discussão entre egos! Um duelo de titãs!

COMO PERCEBO QUE, SE ESTIVERMOS DESATENTOS, LIDAMOS COM A SITUAÇÃO?

·       FAZENDO BIRRA DE CRIANÇA...
·       COM NECESSIDADE DE AFIRMAÇÃO...
·       SENDO EGOÍSTA...
·       SENTINDO-SE VÍTIMA...
·       ARGUMENTANDO BASTANTE...
· DEIXANDO TRANSBORDAR AS EMOÇÕES QUE FICARAM SEM TRABALHAR...
·       FALANDO COISAS SEM PENSAR...
·       DEIXANDO A IMAGINAÇÃO SOLTA...

O desafio ao invés de ser o conflito em si, passa a ser a forma como estamos lidando com os fatos...
ENTÃO, COMO FAZER?
1.     Procurar tornar consciente qual é o fato.
2.     Tornar-se sem ironia e cinismo, o observador.
a.     O que realmente queremos nesse momento?
b.     Qual é o fato, a raiz da discussão?
c.     O que queremos vem do nosso coração ou do nosso ego?
d.     Conseguir o que queremos, permite-nos ser pessoas melhores e mais felizes?
e.       Quais são os aspectos mais significativos na nossa vida?
Falar com sinceridade, respeito, honestidade e sem agressões ou julgamentos o que de fato nos aflige.
Isso irá permitir aliviar a tensão emocional e promover a sabedoria e o entendimento mútuo.
3.     Também reconhecer a criança birrenta.
     Reconhecer quando estamos nesse estado, com o mesmo carinho que o    nosso terapeuta teria conosco. Isso nos ajudará a lidar com a situação de uma forma mais calma. A ideia que para mim funciona é acalmar a criança. Com isto em mente, o que é que poderemos fazer? Quando percebermos que o outro está prestes a entrar nesse estado, dizer uma palavra código (combinada quando tudo estiver bem) e ou fazer um gesto afetivo com muito carinho, respeito e vontade de acertar.
4.     Sinceramente interromper/substituir os padrões que levaram ao conflito.
5.   Direcionar nossa atenção para os olhos um do outro - “Amado(a) olhe-me nos olhos...”. Isso poderá ajudar a nos lembrarmos do quanto gostamos um do outro.
6.   Respirar calma e profundamente várias vezes e ajudar o outro a fazer o mesmo.
7.     Colocar-se no lugar do outro e olhar de um outro ângulo.
8. Dar um ao outro o carinho que o outro necessita. São nesses momentos que mais precisamos do amor, afeto e carinho do outro.

9.   Esforçar-se por renunciar a defensiva.
10.    Lembrar-se do que o outro faz de bem e bom – contar as bênçãos.
11.    Perdoar e perdoar-se.
12.    Agradecer.
13.    Sentir muito pelo incidente.
14.    Dizer que se compromete da próxima vez em cuidar mais.
15.  E sinceramente, expressar verbalmente o amor um pelo outro!


Ficarei na torcida para que dê tudo certo e você possa criar cada vez mais, muitos e muitos momentos de profunda felicidade!
Sinta-se abraçado(a)!

2 comentários:

Jorge Brittes disse...

Norma
Sempre que leio e acompanho suas mensagens muta paz me é sentida , adoro sentaríamos erro poder um dia acompanha- lá em uma de suas jornadas , tenho certeza será , para mm , de muito crescimento -
Jorge Brittes

Lorian Livia disse...

Perfeito!